Pais e professores sabem o quanto é difícil lidar com crianças que não se concentram, são agitadas e muitas vezes impulsivas, crianças com estas características muitas vezes são rotuladas, porém, devemos saber se elas são muito agitadas, extremamente “levadas” sem limites, ou se possuem TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade).

Para crianças com TDAH, concentrar-se é algo difícil. Distraem-se com facilidade, não se lembram de suas obrigações, perdem e esquecem objetos com frequência, têm dificuldades em seguir instruções e se organizarem, falam de maneira excessiva a ponto de não serem capazes de esperar a sua vez, o que as leva a responderem perguntas antes mesmo delas serem concluídas. Encontram dificuldades no desempenho escolar em decorrência do impacto destes sintomas.

Neste vídeo eu sinalizo outros sintomas que podem ajudar pais, professores pessoas que tenham TDAH a detectarem os sintomas, mas advirto a todos que mesmo que estes sintomas sejam favoráveis ao transtorno é imprescindível que haja um diagnóstico de um profissional habilitado.

Acompanhe o nosso canal no YouTube:

Canal Ganhe Sempre Mais no YouTube

PUBLICIDADE
Psicopedagoga, Psicanalista Clínica, Palestrante, Bacharel em Administração de Empresas, Professora do município de Juazeiro-BA na área de Atendimento Educacional Especializado, Escritora/poetisa com livro publicado pela Editora Baraúna e CBJE.
Compartilhe:
Assista ao vídeo e analise se seu filho tem TDAH ou é apenas agitado
Classificado como:
  • Tanta
    agitação entre os psicólogos pelos pedopsiquiatras que fazem
    diagnósticos sem os ditos, mas agora num simples vídeo os pais já podem
    sozinhos fazer o diagnóstico.

    • Maria do Socorro

      Anabela, obrigada pelo comentário, os pais podem detectar e sinalizar os sintomas, porém, ainda assim é necessário um diagnóstico por profissionais da área de saúde que estejam habilitados para tal. Bjos no coração.

  • Cláudia

    Bom dia, Socorro você costuma responder email?
    Suas orientações e vídeos são enriquecedores, porém estou fazendo uma pós em psicopedagogia e gostaria muito de tirar uma dúvida com você.
    Agradeço por deixar participar do seu blog.

    • Maria do Socorro

      Olá Claudia, mande seu e – mail que entrarei em contato com você sim, Obrigada pela participação mo meu Blog. Abçs

  • Vanessa Moreira

    Realmente, temos de ser bem rigorosas e bastante detalhistas em prestar a devida atenção em cada aluno para não diagnosticá-los erroneamente.

    • Olá Vanessa, você tem razão em sua colocação, o diagnóstico tem que ser bem feito para não prejudicar a criança. Abçs