A pessoa que tem, surdo cegueira precisa de mediação de comunicação para obter, fazer a interpretação e o conhecimento do que lhe cerca. Seu conhecimento se faz pelo uso dos canais sensoriais como: tato, olfato, paladar, sinestésico, proprioceptivo e vestibular.
Na DMU as informações chegam para o indivíduo de forma fidedigna, porém, ele sempre terá o apoio dos canais, audição e ou visão.
Segundo Rowland & Schweigert (1989), Muitas pessoas com deficiência múltipla ou com surdocegueira podem aprender a se comunicar por meio de gestos, mas podem ter dificuldade para conseguir uma comunicação usando símbolos abstratos tais como: palavras faladas ou língua de sinais. Há alguns anos foram realizados estudos sobre o uso de um sistema de símbolo concreto conceitualmente chamados de “símbolos tangíveis” (Rowland e Schweigert, 1989, 1990).
Na pesquisa de Rowland & Schweigert 2000 mostrou que símbolos tangíveis são úteis não somente para indivíduos com surdo cegueira, mas também para indivíduos de todas as idades que experimentam uma larga escala de deficiências, inclusive retardo mental severo, deficiências de desenvolvimento, autismo ou distúrbios de desenvolvimentos difusos, deficiência visual severa, deficiência ortopédica severa, e múltiplas deficiências. Essa pesquisa mostrou que indivíduos que já sabem como se comunicar pré-simbolicamente aprenderão mais rapidamente como usar símbolos tangíveis.
Os símbolos tangíveis podem ser:objetos completos, partes de objetos, texturas ou formas, objetos associados, desenhos e fotografias.
Neste sentido pode-se elaborar estratégias para que tanto pessoas com surdocegueira como com DMU possam obter a aprendizagem e conseguirem se comunicar.
Tadoma: Coloca-se a mão sobre a boca e o pescoço de um intérprete, a pessoa que tem surdocegueira pode sentir a vibração de sua voz e entender o que está sendo dito.
 
Outras estratégias podem ser usadas, como por exemplo o ensino do Braile e da língua de sinais.
Referências Bibliográficas
Rowland, C., & Schweigert, P. (2000a). Símbolos tangíveis, resultados tangíveis. Comunicação Aumentativa e Alternativa.
PUBLICIDADE
Psicopedagoga, Psicanalista Clínica, Palestrante, Bacharel em Administração de Empresas, Professora do município de Juazeiro-BA na área de Atendimento Educacional Especializado, Escritora/poetisa com livro publicado pela Editora Baraúna e CBJE.
Compartilhe:
Diferença de Surdocegueira e DMU
  • Este comentário foi removido pelo autor.

  • Realmente, é necessário a mediação de pessoas no dia a dia da pessoa com surdocegueira, para que desta forma ela possa ter conhecimento do que está ao seu redor, utilizando para isso os seus sentidos. Pois são indivíduos dotados de conhecimentos, assim como as demais, a diferença é maneira como elas recebem essas informações.