O autismo tal qual o TDAH é um transtorno, porém com sintomas diferenciados e tratamentos também. O autismo já é uma palavra centenária em termos de pesquisas pela ciência a respeito dos transtornos neurológicos. No entanto, apenas nos últimos anos, tem começado a sair da zona de preconceitos para ser mais compreendido pela sociedade.

TDAH

O que é Autismo?

 

Segundo o neuropediatra Paulo Breinis, “é considerado um distúrbio neurobiológico que, atualmente, é chamado de Transtorno do Espectro Autista (TEA)”. Porém, não é de hoje que se iniciam os estudos sobre o TEA.

O termo autismo foi utilizado pela primeira vez pelo psiquiatra suíço Eugen Bleuler, em 1908, para identificar sintomas de pacientes esquizofrênicos que apresentavam reclusão social. Mas foi em 1943 que o psiquiatra austríaco Leo Kanner usou a palavra autismo com o significado atual pela primeira vez, quando publicou um estudo sobre o assunto em seu artigo “Autistic disturbance of affective contact” (Distúrbio autista de contato afetivo em tradução livre).

Nesse trabalho, o psiquiatra relata de 1938 até sua publicação, 11 casos de crianças com até 11 anos de idade nas quais percebeu condições comportamentais diferentes e únicas. As características observadas pelo austríaco variavam desde alterações no apetite da criança, prejuízos em relação à comunicação e interações sociais, movimentos repetitivos e involuntários, até habilidades como uma memória acima da média.

Algumas de suas observações podem ser notadas também nos estudos e definições mais recentes acerca do autismo. Além de Kanner, no mesmo período, seu conterrâneo, o psiquiatra Hans Asperger também relatou uma forma semelhante do distúrbio que, posteriormente, ficou conhecida por síndrome de Asperger.

 

Existem alterações no cérebro?

 

A formação cerebral de indivíduos com TEA não é a mesma de uma que não possui o transtorno. “Em 20% a 30% dos casos, a pessoa com autismo apresenta macrocefalia (quando a cabeça tem um tamanho maior do que o esperado para a idade da criança)”. Além disso, neurônios autistas são mais imaturos, apresentando menos conexões. Existem evidencias sugerindo alterações nos contatos sinápticos e desbalanço nos níveis de certos neurotransmissores, como o glutamato e a dopamina”, explica o geneticista e neurocientista Alysson Renato Muotri.

 

Quais são as probabilidade da incidência do autismo?

 

Hoje se sabe que o TEA é mais incidente em meninos do que em meninas, e que a chance de uma criança desenvolvê-lo é de 1%. De acordo com uma pesquisa publicada em 2014 pelo órgão norte-americano de saúde Centers for disease Control and Prevention (Centro de Controle e Prevenção de Doenças), entre os anos de 2010 e 2014, em 11 estados do país, constatou-se que uma em cada 68 crianças possui o TEA, sendo quase cinco vezes mais incidente em meninos.

Existem graus do TEA?

Como em outros casos de transtornos neurológicos, o autismo pode aparecer em diferentes níveis. Existem desde autistas com grau leve, apresentando a característica dificuldade em se comunicar, até autismo em níveis mais graves que, além de uma comunicação comprometida, podem demonstrar comportamentos compulsivos e autodestrutivos.

Contudo, é importante, que antes de tomarem qualquer medida medicamentosa pensando que o filho pode ter um grau leve de autismo, os pais procurem especialistas para um diagnóstico multidisciplinar.

Existem Leis que regulam os direitos dos autistas?

Sim. Segundo o artigo primeiro da Lei nº 12.764 de 27 de dezembro de 2012, ela institui a política nacional de proteção dos direitos da pessoa com Transtorno do Espectro Autista e estabelece diretrizes para sua consecução.

Além disso, indivíduos com autismo têm todos os direitos previstos pelas Leis para pessoas com deficiência, assim como os da Convenção sobre os Direitos das pessoas com deficiência da organização das Nações Unidas (ONU).

Fonte: Revista ler& saber

 

Atividades lúdicas para crianças com TDAH, Autismo, dislexia

TDAH

Atividade 01

 

Confeccione tirinhas de cartolina ou outro papel com as vogais, em outra folha copie as palavras que você pretende trabalhar com a criança. No local das vogais use a tirinha para que a criança encontre a letra adequada para formar a palavra. Nessa atividade pode se trabalhar letras maiúsculas e minúsculas.

 

Atividade 02

 

Este tipo de atividade encanta as crianças e nos permite desenvolver o vocabulário e a expressão. Podem ser ensinadas canções e poesias (esta poesia abaixo eu fiz, quem tiver este dom pode usá-lo também) e pedir a elas que as repitam que formem coros, que façam representações das canções mais famosas, que perguntem a seus pais as canções de ninar que eles cantavam e as ensinem a seus colegas, etc.

 

APITO

TDAH

Na palavra APITO

Temos muito que aprender

Temos vogais e consoantes

Juntos vamos conhecer

 

As vogais vou apresentar

Elas são O, I, A

E as consoantes você quer ver?

São elas, P e T.

 

Quantas letras tem a palavra APITO?

Para isso é preciso contar

Cinco letras tenho aqui,

Quais são elas pode mostrar?

 

Escrevendo a palavra APITO

Com que letra vou iniciar?

E para terminar de escrever

Que letra eu vou colocar?

 

Atividade 03

 

Confeccione folhas separadas com letras aleatórias e peça para que as mesmas marquem:

PUBLICIDADE
  1. Com um lápis colorido o cartão que o professor mostrar
  2. Com um lápis colorido a letra mostrada
  3. As letras utilizando uma cor diferente para cada uma.

 

Atividade 04

 

Confeccione cartões (cartolina ou ofício) com nomes de pessoas, incluindo o nome do aluno:

Ex: Jacson, João, Alide, Maria, José, Socorro, Aline, Julia

(neste caso, usei o nome dos colegas de sala, meu nome e alguns nomes desconhecidos do aluno)

Peça ao aluno para

– Identificar seu nome

– Identificar nomes com iniciem com a letra do seu nome

– Identificar nomes femininos

– Identificar nomes masculinos

– contar quantas letras tem seu nome

– quantas sílabas têm seu nome

 

Atividade 05

 

Solicitar que o aluno confeccione (com sua ajuda) os cartões com seu nome e nome de alguns colegas.

– neste caso a atividade segue com a criatividade de cada professor que pode explorar todas as situações anteriormente citadas e criar outras de acordo com o nível de saber do aluno.

 

Obs: Não use nomes complexos (principalmente escritos em inglês ou outros idiomas) a não ser o próprio nome do aluno.

Trabalhe com nomes de sílabas simples para que facilite a leitura das letras e sílabas pelo aluno.

Ilustre a atividade para ficar mais interessante, pedindo ao aluno que cite as características dos nomes citados

 

 

 
Vejam muito mais conteúdos com estratégias e atividades no Curso Dislexia Estratégias e Atividades, destinado a pais, professores, fonoaudiólogos, psicólogos escolares, psiquiatras, pedagogos, psicopedagogos, especialistas de atendimentos educacionais (AEE), TO’s, e as próprias pessoas com o transtorno. Contêm muitas informações relevantes, estratégias e muitas atividades que podem ser aplicadas de forma lúdica e criativa, promovendo deste modo a aprendizagem da criança, por pais, e professores, visando auxiliar os mesmos em suas práticas diárias.

Como bônus você levará 2 E-BOOKS, o e-book CIRANDA – Ensinando com rimas, que contêm poesias educacionais, sugestões de atividades e atividades (modelo) que podem ser trabalhadas com todos os alunos, e o e-book Déficit de Atenção ou TDAH. São inúmeras vantagens para você. ADQUIRA JÁ!

 

Curso de Dislexia Online

 

Convido a todos vocês envolvidos no processo de aprendizagem de crianças, adolescentes e adultos, a conhecerem o E-book “Dislexia, Transtorno ou Talento?” Cujo objetivo é justamente demonstrar através de conhecimento, estratégias e atividades que todas as crianças possuem talentos e a forma como devemos despertá-lo. Tenho certeza que todos que o adquirirem terão outra visão da Dislexia e consequentemente através do seu conteúdo e aplicação suas práticas com estas crianças serão exitosas.

banner_dislexia_300_250

Se você quiser aprender mais sobre TDAH aproveite e inscreva-se em nosso curso de TDAH Estratégias e atividades Inédito + Bônus de um e-book Trabalhando as emoções das crianças. Está imperdível, ADQUIRA JÁ!

banner_300x250_tdah_bonus

No intuito de auxiliar a pais, professores e as crianças, escrevi o e-book “Atividades exitosas” (91 páginas) em que reuni atividades criativas de fácil aplicação além de estratégias. De bônus os presenteio com o e-book “Ciranda” (48 páginas) onde podemos ensinar através de poesias e rimas, com sugestões e modelos de atividades. Este material foi escrito com muito carinho e dedicação, tenho certeza que será muito proveitoso, e se for bem aplicado se refletirá na real aprendizagem dos alunos, em especial aqueles que têm TDAH, Dislexia ou outros Transtornos de aprendizagem.

banner_ebook_atividades_300_250

Se você ainda não possui, adquira já o e-book “O Menino Que Não Tinha Jeito” e como bônus ganhe o e-book completo “Déficit de Atenção ou TDAH”:

ebook_o_menino_que_nao_tinha_jeito

Psicopedagoga, Psicanalista Clínica, Palestrante, Bacharel em Administração de Empresas, Professora do município de Juazeiro-BA na área de Atendimento Educacional Especializado, Escritora/poetisa com livro publicado pela Editora Baraúna e CBJE.
Compartilhe:
Conheça mais sobre o Autismo e os direitos destas crianças com mais atividades para autismo, TDAH e dislexia
Classificado como: