Em diversos segmentos do conhecimento humano, é muito comum a existência de mitos, crenças populares ou tradições que se desenvolvem sobre alguém ou alguma coisa sem embasamento racional ou científico. Nesse sentido, desenvolveram-se idéias exageradas ou mesmo distorcidas sobre um determinado tema ou fato.

TDAH

É possível encontrar diversos mitos relacionados a doenças, geralmente baseados em tradições populares, que quando investigados são desmentidos. Apesar de o TDAH ser considerado um distúrbio pela OMS (Organização Mundial da Saúde), com o crescimento de diagnósticos sobre TDAH e com a divulgação de artigos sobre o tema na mídia, muitos mitos, crenças e dúvidas surgiram sobre o transtorno. Geralmente, eles se baseiam nas controvérsias sobre o diagnóstico e as formas de tratamento.

Vejam algumas delas mais comuns:

O TDAH não existe: O transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade é um transtorno real, comprovado cientificamente e considerado um distúrbio pelo OMS. O distúrbio é classificado pelo CID-10 (Classificação Estatística Internacional de Doenças e problemas Relacionados com a Saúde) como um Transtorno Hipercinético. Os critérios para avaliação e diagnóstico são estabelecidos pelo DSM-IV.

As principais características são desatenção, falta de controle dos impulsos (impulsividade) e hiperatividade. O diagnóstico é feito por profissionais da saúde (psicólogos, psicopedagogos, psiquiatras, neurologistas, pediatras, etc.).

 

Toda criança é desatenta e agitada, não apenas as portadoras de TDAH:

TDAH

As crianças de maneira geral são curiosas e por vezes dispersas. Gostam de brincar e se divertir. A diferença entre uma criança portadora do TDAH e outra pode ser percebido particularmente na sala de aula, onde os sintomas do distúrbio são mais fáceis de serem observados.

Ela não consegue ficar quieta em seu lugar, tem dificuldade em ter foco nas atividades que deve executar e desvia sua atenção facilmente. Crianças em geral podem apresentar esses sintomas esporadicamente, quando nos portadores do TDAH são constantes.

 

O uso de medicamentos no tratamento das crianças causa efeitos colaterais:

TDAH

De maneira geral, o uso de medicamento no tratamento do TDAH tem preocupado os pais devidos as suas propriedades. De acordo com a Associação Brasileira de Déficit de Atenção (ABDA), a maioria dos especialistas com experiência no acompanhamento de pessoas com o transtorno afirma que “os medicamentos utilizados para o tratamento do TDAH são eficazes e seguros”. Além de melhorar o rendimento acadêmico infantil, eles favorecem as relações sociais, a autoestima e a autoconfiança.

Entretanto, como qualquer outro medicamento, ele pode produzir efeitos colaterais. Dessa forma, eles devem ser indicados por profissionais com experiência no seu manejo.

 

O TDAH só existe em criança: A idéia de que o TDAH é um distúrbio exclusivo da infância tem sido dissipada por meio de estudos que acompanham crianças com o distúrbio ao longo de muitos anos. Segundo o Médico neurologista Mario Peres, em Mito do TDAH (tdahnoadulto.com), essas pesquisas mostram que cerca de 70% a 80% das crianças com o transtorno continuam com sinais de agitação e distração na adolescência e quando chegam à idade adulta jovem. Uma outra grande porcentagem sofre com depressões, transtornos de ansiedade, abuso de álcool e drogas, tabagismos, problemas de conduta, insucesso escolar, isolamento social e rejeição.

PUBLICIDADE

Convido a todos vocês envolvidos no processo de aprendizagem de crianças, adolescentes e adultos, a conhecerem o E-book “Dislexia, Transtorno ou Talento?” Cujo objetivo é justamente demonstrar através de conhecimento, estratégias e atividades que todas as crianças possuem talentos e a forma como devemos despertá-lo. Tenho certeza que todos que o adquirirem terão outra visão da Dislexia e consequentemente através do seu conteúdo e aplicação suas práticas com estas crianças serão exitosas.

banner_dislexia_300_250

Vejam muito mais conteúdos com estratégias e atividades no Curso Dislexia Estratégias e Atividades, destinado a pais, professores, fonoaudiólogos, psicólogos escolares, psiquiatras, pedagogos, psicopedagogos, especialistas de atendimentos educacionais (AEE), TO’s, e as próprias pessoas com o transtorno. Contêm muitas informações relevantes, estratégias e muitas atividades que podem ser aplicadas de forma lúdica e criativa, promovendo deste modo a aprendizagem da criança, por pais, e professores, visando auxiliar os mesmos em suas práticas diárias.

Como bônus você levará 2 E-BOOKS, o e-book CIRANDA – Ensinando com rimas, que contêm poesias educacionais, sugestões de atividades e atividades (modelo) que podem ser trabalhadas com todos os alunos, e o e-book Déficit de Atenção ou TDAH. São inúmeras vantagens para você. ADQUIRA JÁ!

 

Curso de Dislexia Online

 

 

Se você quiser aprender mais sobre TDAH aproveite e inscreva-se em nosso curso de TDAH Estratégias e atividades Inédito + Bônus de um e-book Trabalhando as emoções das crianças. Está imperdível, ADQUIRA JÁ!

banner_300x250_tdah_bonus

No intuito de auxiliar a pais, professores e as crianças, escrevi o e-book “Atividades exitosas” (91 páginas) em que reuni atividades criativas de fácil aplicação além de estratégias. De bônus os presenteio com o e-book “Ciranda” (48 páginas) onde podemos ensinar através de poesias e rimas, com sugestões e modelos de atividades. Este material foi escrito com muito carinho e dedicação, tenho certeza que será muito proveitoso, e se for bem aplicado se refletirá na real aprendizagem dos alunos, em especial aqueles que têm TDAH, Dislexia ou outros Transtornos de aprendizagem.

banner_ebook_atividades_300_250

Se você ainda não possui, adquira já o e-book “O Menino Que Não Tinha Jeito” e como bônus ganhe o e-book completo “Déficit de Atenção ou TDAH”:

ebook_o_menino_que_nao_tinha_jeito

Psicopedagoga, Psicanalista Clínica, Palestrante, Bacharel em Administração de Empresas, Professora do município de Juazeiro-BA na área de Atendimento Educacional Especializado, Escritora/poetisa com livro publicado pela Editora Baraúna e CBJE.
Compartilhe:
Conheça as dúvidas, mitos e crenças que surgiram sobre o TDAH
Classificado como: