Devido à grande carência de qualificação profissional para o diagnóstico e atendimento à criança autista, Muitas vezes a escola não está preparada para receber este aluno.

“Quando o aluno que chega à escola tem dificuldades em se relacionar, seguir regras sociais e se adaptar ao novo ambiente, tal comportamento é logo confundido com falta de educação e limite. Então os profissionais de educação, por falta de conhecimento, não sabem reconhecer e identificar as características de um autista, principalmente os de alto funcionamento, com grau baixo de comprometimento. Estes profissionais não estão preparados para lidar com crianças autistas e a escassez de bibliografias apropriadas dificulta o acesso à informação na área.” (Santos, 2008, p. 9)

Autismo

Entretanto, após o diagnóstico de autismo na criança, se faz necessário que o educador tenha demasiada paciência e compreensão para com este, para que ele consiga aprender, pois ele pode apresentar um olhar distante e não atender ao chamado e até mesmo demorar muito para aprender determinada lição. Porém, nada disso acontece porque a criança é desinteressada e sim porque o autismo compromete e retarda o processo de aprendizagem, ela precisa de muito elogio, motivação e carinho para desenvolver sua inteligência.

Conforme santos 2008 é muito importante a continuidade do ensino para uma criança autista, para que se torne menos dependente, mesmo que isto envolva várias tentativas, e ela não consiga aprender de imediato . É preciso atender prontamente toda vez que a criança autista solicitar e tentar o diálogo, a interação, Quando ocorrer de chamar uma criança autista e ela não atender, é necessário ir até ela, pegar sua mão e levá-la para fazer o que foi solicitado. Toda vez que a criança conseguir realizar uma tarefa, ou falar uma palavra, ou enfim, mostrar progresso, é prudente reforçar com elogios. Quando se deseja que a criança olhe para o professor, segura-se delicadamente o rosto dela, direcionando-o para o rosto do professor. Pode-se falar com a criança, mesmo que seu olhar esteja distante, tendo como meta um desenvolvimento de uma relação baseada em controle, segurança, confiança e amor.

 

Estratégias e atividades

 

Solicitar às famílias um relatório dos interesses, preferências e coisas que causem  agrado e desagrado a cada criança.

Usar preferencialmente materiais de agrado para a criança na aula o no pátio para estabelecer um vínculo com a escola e as pessoas do ambiente escolar.

Em sala de aula procurar trabalhar por períodos curtos, de cinco a dez minutos, em atividades de complexidade crescente, incorporando gradativamente mais materiais, pessoas ou objetivos.

Ao interagir com a criança, falar pouco, somente as palavras mais importantes (geralmente um autista não processa muita linguagem cada vez).

Procurar utilizar gestos simples e imagens para apoiar o que é falado e permitir a compreensão (os autistas são mais visuais que verbais).

Sempre desenvolver rotinas que a criança possa predizer ou antecipar (pela repetição e com o apoio de imagens que mostram o que vai ser feito no dia).

Estimular a participação em tarefas de arrumar a sala ajudar a entregar materiais às outras crianças, etc.

Usar sempre o canal visual. O professor deve ter o objeto na mão diante dos olhos para que a criança possa pegar o objeto tendo o rosto do adulto dentro do seu campo de visão.

Trabalhar de acordo com as capacidades de cada criança para utilizá-las como entrada para as atividades de ensino (pintar, recortar, etc.).

Sempre que possível evitar falar muito, muito alto e toda situação que envolva muito estímulo (pode ser até nocivo para a criança).

Conversar sempre com a criança e questionar como foi a tarde ou o dia anterior, a qualidade do sono ou se houver alguma alteração da rotina para se antecipar a estados emocionais de ansiedade. Em caso de ansiedade, procure utilizar elementos de interesse e preferência da criança, com menor exigência para não ter birras ou maior ansiedade.

Em casos de a criança fazer “birra”, é importante ter algum conhecimento de técnicas de modificação de conduta (time out, desvio de atenção, etc.), porém, a primeira dica é não se apavorar, tentar oferecer outros objetos e, no caso de não conseguir acalmar a criança, explicar à turma o que está acontecendo e desenvolver atividade com o grupo em outro lugar e dar a possibilidade da criança com TEA de se acalmar.

 

Exemplo de superação para AUTISMO

 

Temple Grandim é conhecida como a mais bem sucedida pessoa com autismo no mundo, respeitada por todo o trabalho desenvolvido na zootecnia. Vejam o que ela diz:

“Uma pessoa com autismo pode continuar crescendo e se desenvolvendo. Ás vezes os pais cometem o erro de serem superprotetores. Crianças autistas precisam encarar o mundo. Se a criança tem habilidade em matemática, arte ou música trabalhe para desenvolver essa capacidade em uma carreira. Vários grandes músicos, como Mozart, eram pessoas esquisitas com poucas habilidades sociais. Provavelmente elas eram autistas.”

 

Fontes:

Cartilha da campanha Nacional de Conscientização do autismo. Cãmara dos Deputados, 2015
Autistic disturbance of affective contact, de Leo Kanner, revista nervous Child.

 

 

Participe

O que você achou desta matéria? Escreva nos comentários e deixe sua opinião

Curta nossa Fan Page no Facebook: http://www.facebook.com/ganhesempremais

PUBLICIDADE

Vejam muito mais conteúdo e estratégias de como viver e Vencer com TDAH no meu mais novo E-book, ele apresenta estratégias, técnicas, relatos e atividades imprescindíveis a todos  aqueles que acreditam que podem “Vencer com TDAH”.

banner_vencer_com_TDAH_300_250

O Blog Ganhe Sempre mais, faz uma Mega PROMOÇÃO, em seus cursos, que além de conteúdo de qualidade, facilidade e disponibilidade de tempo, você faz o curso em qualquer horário e local que estiver, ainda fica mais acessível:

Convido a todos vocês envolvidos no processo de aprendizagem de crianças, adolescentes e adultos, a conhecerem o E-book “Dislexia, Transtorno ou Talento?” Cujo objetivo é justamente demonstrar através de conhecimento, estratégias e atividades que todas as crianças possuem talentos e a forma como devemos despertá-lo. Tenho certeza que todos que o adquirirem terão outra visão da Dislexia e consequentemente através do seu conteúdo e aplicação suas práticas com estas crianças serão exitosas.

banner_dislexia_300_250

Vejam muito mais conteúdos com estratégias e atividades no Curso Dislexia Estratégias e Atividades, destinado a pais, professores, fonoaudiólogos, psicólogos escolares, psiquiatras, pedagogos, psicopedagogos, especialistas de atendimentos educacionais (AEE), TO’s, e as próprias pessoas com o transtorno. Contêm muitas informações relevantes, estratégias e muitas atividades que podem ser aplicadas de forma lúdica e criativa, promovendo deste modo a aprendizagem da criança, por pais, e professores, visando auxiliar os mesmos em suas práticas diárias.

Como bônus você levará 2 E-BOOKS, o e-book CIRANDA – Ensinando com rimas, que contêm poesias educacionais, sugestões de atividades e atividades (modelo) que podem ser trabalhadas com todos os alunos, e o e-book Déficit de Atenção ou TDAH. São inúmeras vantagens para você. ADQUIRA JÁ!

Curso de Dislexia Online

Se você quiser aprender mais sobre TDAH aproveite e inscreva-se em nosso curso de TDAH Estratégias e atividades Inédito + Bônus de um e-book Trabalhando as emoções das crianças. Está imperdível, ADQUIRA JÁ!

banner_300x250_tdah_bonus

No intuito de auxiliar a pais, professores e as crianças, escrevi o e-book “Atividades exitosas” (91 páginas) em que reuni atividades criativas de fácil aplicação além de estratégias. De bônus os presenteio com o e-book “Ciranda” (48 páginas) onde podemos ensinar através de poesias e rimas, com sugestões e modelos de atividades. Este material foi escrito com muito carinho e dedicação, tenho certeza que será muito proveitoso, e se for bem aplicado se refletirá na real aprendizagem dos alunos, em especial aqueles que têm TDAH, Dislexia ou outros Transtornos de aprendizagem.

banner_ebook_atividades_300_250

Se você ainda não possui, adquira já o e-book “O Menino Que Não Tinha Jeito” e como bônus ganhe o e-book completo “Déficit de Atenção ou TDAH”:

ebook_o_menino_que_nao_tinha_jeito

 

 

 

Psicopedagoga, Psicanalista Clínica, Palestrante, Bacharel em Administração de Empresas, Professora do município de Juazeiro-BA na área de Atendimento Educacional Especializado, Escritora/poetisa com livro publicado pela Editora Baraúna e CBJE.
Compartilhe:
Estratégias e atividades para lidar com a criança autista no contexto escolar
Classificado como: